por-que-contratar-um-profissional-01

A presença do profissional na obra está crescendo cada vez mais. Aos poucos, o estigma de que arquitetos e engenheiros são profissionais de luxo e pouco justificáveis está perdendo espaço para a valorização de suas atuações, como um investimento bem empregado. Assim, contratar um profissional não significa apenas construir bem e garantir que você agora tem um produto valorizado, mas também evitará prejuízos com retrabalhos e correções. Apesar deste crescimento, ainda há muitas dúvidas.

O primeiro passo é entender o papel dos profissionais envolvidos, ou seja, ter consciência de qual instrumento cada um toca nessa orquestra enorme que é uma obra:

Arquiteto(a): é o profissional que vai traduzir os seus sonhos em realidade. Entender o que você e sua família precisam e transformar seus desejos em estudos e projetos. Desenvolverá desde o projeto para a aprovação da Prefeitura até o executivo, que são os desenhos que irão para a obra, unindo todas as informações necessárias que possam vir de outros profissionais para complementar os já definidos.

Engenheiro(a): é geralmente mais requisitado para o projeto estrutural e de fundação, mas também pode responder pelos projetos hidráulico e elétrico.

Obs.: algumas responsabilidades podem ser desempenhadas por ambos, por exemplo:
– O processo de entrada na prefeitura;
– Os projetos de hidráulica e elétrica;
– O acompanhamento da execução da obra;
– O projeto arquitetônico;
– O cálculo estrutural.

Vale salientar que depende do perfil de cada profissional. Na verdade, a tendência de um arquiteto ter uma formação mais próxima a de um engenheiro vem da universidade que cursou. Dentre as grades curriculares mínimas, algumas investem mais em humanas e outras em exatas.  Quanto à formação de engenharia, apesar dessa oferecer aprendizado sobre formas de projetar, não há aprofundamento nesse contexto; assim, o ideal é o arquiteto desenvolver o projeto arquitônico e o engenheiro o projeto estrutural.

Paisagista: que pode ter formação em agronomia, biologia ou não. Conhecedor das plantas e seu comportamento, desenvolve o projeto focado no tipo de vegetação, irrigação, drenagem, iluminação, preparo do solo e acompanha a execução. É importante lembrar que lidar com elementos vivos requer paciência e cuidado. As plantas precisam de tempo para adaptação e muitas vezes é a sua versão mais desenvolvida que dará ao jardim o perfil imaginado pelo paisagista.

Decorador(a): desenvolve projetos e soluções em ambientes já construídos que podem ser residenciais ou corporativos quanto a mobiliários, tecidos, cortinas e demais elementos decorativos. Não tem autorização para alterar elementos construtivos, elétrica e hidráulica, mas podem rever acabamentos.
Obs.: Alguns profissionais de arquitetura também trabalham nesse nicho de atividade(como eu…rs).

Agora que você já tem uma ideia melhor estruturada sobre os profissionais envolvidos na obra é importante também compreender qual o momento de procurar um.

Quando você decidiu construir a sua casa, já deu de cara com a primeira dúvida: como escolher o terreno? Como avaliar se as opções disponíveis são realmente interessantes para o que você quer como resultado final? Será que aquele terreno que você tanto gostou é o melhor? É agora que o despertador toca e avisa, é chegada a hora de escolher um profissional. Nesse momento, o projeto já começa a nascer, pois são as facilidades ou complicações que o terreno oferece que moldarão uma bela parcela do conceito do projeto.

Analisar a localização, insolação e topografia são de suma importância. Estudar a interferência de outras construções e até mesmo as leis de zoneamento é parte do processo para avaliar o melhor aproveitamento da área disponível. Portanto, ter um profissional ao seu lado, nesta primeira etapa, pode garantir seu investimento e evitar futuras dores de cabeça.

E afinal de contas, porque contratar um profissional?

Já é comprovado que investir em um profissional para desenvolver o projeto e acompanhar a obra fica mais barato que surfar nessa onda sozinha(o) e desacompanhada(o). Ter quem entenda e visualize o processo de forma globalizada garante planejamento, ou seja, evita desperdício de material, tempo e erros na execução. Refazer é caro e leva para longe muito dinheiro que deveria estar sendo investido em escolhas de qualidade. Conhece o ditado “o barato sai caro”? Pois é, seguindo a linha de avaliação quanto ao “custo beneficio”, ter ajuda na obra é mais seguro e econômico que investir às cegas, o que muitas vezes, pode até dobrar o investimento previamente disponibilizado, situação muito comum em se tratando de obra.

E por último, mas não menos importante, o profissional vai traduzir suas necessidades e garantir que sejam atendidas. Pense e avalie, estude e pesquise, converse com quem construiu sem ajuda e com quem contratou um profissional. Valorize seu investimento, mas o mais importante, esteja segura(o) de sua escolha.

Dúvidas? Sugestões para futuras postagens? Deixe nos comentários.

Beijos e obrigada pela visita!

Abaixo o mapeamento dos temas para você acompanhar:

01- Diário de Obra – Introdução
02- Diário de Obra – Por que contratar um profissional para sua obra?(você está aqui)
03- Diário de Obra – Como escolher o profissional para sua obra?
04- Diário de Obra – Como escolher o terreno para a casa dos seus sonhos
05- Diário de Obra – O projeto da casa dos seus sonhos
06- Diário de Obra – Como ler a planta da sua casa?
07- Diário de Obra – O início da execução
08- Diário de obra – Organize-se e economize – 21 Dicas

Autor
Escrito por

Assuntos Relacionados

Garanto que, quando você decidiu construir a sua casa, aliás, a casa...

Óh dúvida cruel! Você entra na loja e fica sem fôlego ao...

Na postagem anterior do “Diário de Obra”, dei uma pincelada...

Desde que iniciei as postagens para o Diário de Obra, venho me...

Deixe um comentário

Newsletter

Inscreva-se e receba as postagens no seu e-mail.
Cadastre seu e-mail:

Importante: Eu não envio spam!