ergonomia-da-vinci-01

Que a cozinha é o coração da casa você já sabe e eu adorei escrever sobre ela logo nas primeiras postagens aqui, na nova versão do blog. É o lugar ideal para dividir nosso tempo com quem amamos. Mas, um bom papo como pano de fundo para as peripécias gastronômicas não é o único ingrediente chave para o prazer na hora de cozinhar. Praticidade e funcionalidade são importantes para o bem estar de quem manda no fogão e o conforto é receita infalível para qualquer atividade diária e repetitiva.

Hoje vou falar sobre a ergonomia na cozinha. Assunto de forma geral, pouco popular, mas que vem de roupa nova da “Casa” antiga para deixar você bem informada(o) sobre o ambiente mais complexo da casa. E para começar, entender o que significa a palavra ergonomia é o primeiro passo para captar a importância de sua aplicação nas atividades do dia a dia.

“Ergo” = trabalho
“Nomos”= regras

Assim, ergonomia significa um conjunto de informações e conhecimentos (regras) voltados para adaptação das condições de um trabalho às características do ser humano. Mas, acho que podemos estender sua definição e dizer que, grosseiramente, é o jeito mais confortável de desenvolver uma atividade, seja ela qual for. Por isso, utilizar seus conceitos dentro de casa é garantir, além do conforto, saúde. Por exemplo: modelo do puxador dos armários, dimensões e formato do sofá, formato do tanque de lavar roupas, altura da bancada da cozinha e por aí vai.

Para desenvolver bons projetos é necessário observar todas as questões relacionadas ao desenvolvimento de determinada atividade, neste caso cozinhar. Existem inúmeras “regras” pré-determinadas utilizadas para conceber soluções para este e outros ambientes, mas são em sua maioria, regras básicas que precisam ser confrontadas com as reais necessidades e características do morador.

Utilizar dimensões uniformizadas pode causar alguns desconfortos. Por exemplo, homens e mulheres possuem alturas e estruturas físicas diferentes e consequentemente, necessitam de soluções diversas. O segredo é a observação, informação e bom senso na aplicação do conhecimento.

ergonomia-cozinha-01

(imagem: livro de Terence Conran’s – New House Book, Editora Coran Octopus)

Vamos às informações:

01– Altura ideal para a bancada da cozinha:
– Regra geral: ninguém deve precisar dobrar-se para alcançar o fundo da cuba;
– Dimensão: a bancada pode ter entre 85 e 90cm, podendo sofrer aumento se houver máquina de lavar louças de piso que geralmente é muito alta. Nesse caso, a dica é que você programe a instalação dela em um canto da cozinha, próxima da cuba, mas fora da bancada em uso, assim, a altura extra não interfere no seu espaço de trabalho.
– Para pessoas com mais de 1,90m de altura: a bancada pode ter 10cm a menos que a altura do cotovelo;
Dica: Se o fundo da cuba é alcançado sem que se dobre o corpo, a solução está confortável.

ergonomia-cozinha-02

(imagem: livro de Terence Conran’s – New House Book, Editora Coran Octopus)

02- O armário inferior:
– Se o armário abaixo da bancada estiver suspenso do piso, a distância pode ser de cerca de 20 cm, para facilitar na hora da limpeza;
– Se houver alvenaria entre piso e armário, sua altura pode estar entre 10 e 15 cm e ter um recuo de 0,07 a 15 cm, para o encaixe confortável dos pés de quem está de frente para a bancada;
– A profundidade varia de 60 a 75 cm. A medida maior costuma ser necessária se você optar por um cooktop de cinco ou seis bocas.

ergonomia-cozinha-03

(imagem: Revista Arquitetura e Construção, maio/2001)

03– O armário superior:
– Para evitar bater a cabeça é importante que a profundidade deste armário fique entre 30 e 35cm;
-O espaço entre armário superior e bancada deve se manter entre 40 e 55 cm, permitindo que as atividades transcorram sem acidentes.

ergonomia-cozinha-04

(imagem: Revista Arquitetura e Construção, maio/2001)

ergonomia-cozinha-05

(imagem: Revista Arquitetura e Construção, maio 2001)

04- Abaixo esquemas interessantes sobre as alturas gerais para dispor prateleiras nos armários de cozinha de forma confortável:

 

ergonomia-cozinha-12

 

05- O micro-ondas instalado a 1,20 m do piso é seguro e fácil de usar. Instalado a 1,40 m do piso libera bancada em cozinhas muito pequenas.

06- Espaço para trabalho:

– O espaço mais utilizado da bancada fica entre a cuba e o fogão. Por isso, será mais confortável se o mínimo ficar entre 0,90 e 1,20 m. Em espaços pequenos, 0,50 m talvez seja o máximo que conseguiremos para esta área. O primordial é nunca esquecer de que ela precisa existir para o conforto de quem cozinha.

ergonomia-cozinha-06

(imagem: Revista Arquitetura e Construção, maio 2001)

07- Circulação:

Nada de aperto. Na cozinha galeria, 1,20 a 1,50 m é boa solução.

ergonomia-cozinha-07

(imagem: Revista Arquitetura e Construção, maio 2001)

08- Mesa para refeição:

– Para que a mesa seja confortável é preciso levar em conta que haverá pessoas de ambos os lados e que o centro é local de apoio. Assim, a mesa a partir de 80cm de profundidade comporta bem sem aperto.
– Para a altura, 76cm do tampo ao piso é ideal. Claro, se o morador tiver mais de 1,80m, medidas especiais devem ser cuidadosamente pensadas.

ergonomia-cozinha-08

 

ergonomia-cozinha-09

Dica: Para você entender melhor as relações necessárias entre o espaço que uma pessoa ocupa e as medidas de que necessita para estar confortável em uma mesa de refeição, abaixo três esquemas super interessantes.

ergonomia-cozinha-11

ergonomia-cozinha-15

ergonomia-cozinha-16

09- Espaço para refeição estilo balcão:

Geralmente utilizada em ambientes mais descontraídos, o balcão para refeições tem suas próprias exigências quanto ao conforto;

– Altura da bancada 1,00 a 1,10m, faz relação respectivamente com as seguintes medidas de altura para banqueta 0,70 a 0,80m;
– Para a largura da banqueta, 0,30m resolve;
– Profundidade da bancada de 0,45m é o suficiente para pratos e copos;

ergonomia-cozinha-10

10– Se o seu sonho é uma cozinha ao melhor estilo americano, com mesa alta para banquetas, espaçosa e aberta para a sala, considere todas as dimensões já sugeridas para larguras e alturas da mesa na postagem de hoje. A dica extra é que a banqueta tenha espaldar para oferecer maior conforto, se a intenção é passar longos períodos papeando à mesa.
Para finalizar a postagem do dia, abaixo imagens de estudos sobre as dimensões gerais do corpo humano e o espaço que ocupa em diferentes momentos, em estado de repouso ou em movimento:

ergonomia-cozinha-14

ergonomia-cozinha-13

Informação nunca é demais e quanto mais você souber sobre o que é certo, mais segura para tomar decisões sobre sua casa.

Ainda possui dúvidas? Quer fazer perguntas ou contar soluções que deram certo na sua cozinha? Use e abuse do espaço reservado aos comentários, logo após cada postagem.

Um grande beijo e obrigada pela visita!

Autor
Escrito por

Assuntos Relacionados

Cozinha no Dia das Mães Por Rocéli Rapini (Texto transcrito abaixo) Coração...

Garanto que, quando você decidiu construir a sua casa, aliás, a casa...

Óh dúvida cruel! Você entra na loja e fica sem fôlego ao...

Na postagem anterior do “Diário de Obra”, dei uma pincelada...

Deixe um comentário

Newsletter

Inscreva-se e receba as postagens no seu e-mail.
Cadastre seu e-mail:

Importante: Eu não envio spam!